Lançado recentemente nos cinemas da Argentina, longa estreia no Petra Belas Artes em 10 de março

Apresentado no Festival de San Sebastián, na prestigiosa seção de Novos Diretores, e também no Festival Mix Brasil, “Esse Fim de Semana” é o primeiro longa-metragem dirigido pela argentina Mara Pescio, também autora do roteiro, seis anos após ela estrear como diretora, com um episódio no longa coletivo “Historias Breves 11: 20 Años”.

Como roteirista, Mara tem longa experiência no cinema e na TV, incluindo as séries de sucesso “La Casa” (2015), “Las Estrellas” (2017) e “Pequena Victoria” (2019), indicada ao prêmio Emmy; e os longas “Marilyn” (2018), selecionado para os festivais de Berlim e San Sebastián; e a comédia “Como Superar um Fora” (2018).

Tendo como locação principal um bairro humilde da cidade multiétnica de Posadas, no nordeste da Argentina, junto ao rio Paraná, o filme traz em seu contexto um tema reconhecível em muitos filmes latino-americanos contemporâneos, com ênfase no declínio de uma velha ordem econômica, que, consequentemente, devasta as relações, incluindo as unidades sociais mais fundamentais, a família, principalmente.

Na história, a personagem Julia retorna à sua terra natal de onde partiu anos atrás após ser vítima de um golpe financeiro. Oficialmente, o motivo desse retorno seria para ela assinar a autorização para que sua filha vá morar fora do país com o pai. Esta será também a oportunidade que ela terá de recuperar o valor que lhe foi tirado, e que resolveria muitos de seus problemas. Mas, a reconexão de Julia com o seu passado não será como ela esperava.

Em entrevista para a revista Variety, Mara Pescio compara “Esse Fim de Semana” a um western: “Na narrativa ocidental clássica – pense em ‘Rastros de Ódio’ de John Ford – a civilização está sendo construída. Em ‘Esse Fim de Semana’, a civilização está se desfazendo, exigindo mais uma vez um ato de sacrifício de sua heroína, no caso Julia, para garantir que outros tenham um futuro”.

Uma coprodução entre Argentina e Brasil, “Esse Fim de Semana” é falado em espanhol e português, e tem locações nos dois países. Na parte argentina, o filme tem duas empresas produtoras lideradas por mulheres, ambas com recordes em festivais: Maravillacine e Murillo Cine. E, do Brasil, Tathiani Sacilotto representa a Persona Non Grata Pictures que já produziu mais de 30 filmes, da ficção ao documentário, em coprodução com diversos países, entre eles Brasil, Argentina, Equador, Portugal, Espanha, França, Alemanha e Moçambique.

Assim como a equipe técnica, o elenco do filme é predominantemente feminino, e reúne atrizes experientes e iniciantes. Lola Banfi, que interpreta Maria, trabalhou no longa “Uma Espécie de Família” (2017), distribuído no Brasil pela Pandora Filmes, e no premiadíssimo “Vermelho Sol” (2018), estrelado por Darío Grandinetti. Gabriela Saidon, que vive a personagem Gloria, teve papéis importantes em filmes como “A Barqueira” (2019), vencedor do prêmio de Melhor Filme Ibero-americano no Festival de Málaga, e “Isabella” (2020), de Matías Piñero, premiado no Festival de Berlim. As protagonistas María Paz Ferreyra e Irina Misisco, que interpretam Julia e Clara, respectivamente, são estreantes no cinema. O principal personagem masculino, Ariel, é defendido por Sergio Prina, vencedor do prêmio de Melhor Ator nos festivais de Havana, Lima Latin e Santiago, pelo filme “El Motoarrebatador” (2018).