Liam Neeson e Micheál Richardson protagonizam filme que estreia nos cinemas brasileiros em 28 de outubro

DE VOLTA À ITÁLIA estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira, dia 28 de outubro, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Brasília, Vitória, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Barueri e Campinas

Depois se tornar astro de filmes de ação nos últimos anos, o irlandês Liam Neeson retorna ao drama, com toques de comédia, em DE VOLTA À ITÁLIA, filme escrito e dirigido pelo ator James D’Arcy, sobre um pai e um filho que tentam se reconectar após a morte da esposa e mãe. No longa, o astro contracena com seu próprio filho Micheál Richardson, numa história que carrega traços de semelhança com a vida de ambos. A produção chega aos cinemas nacionais em 28 de outubro. 

Neeson interpreta Robert, um artista boêmio, que viaja até a Itália, na companhia de seu filho, Jack, com a intenção de vender a casa que herdaram da falecida esposa. Chegando lá, tudo começa a dar errado quanto tentam reformar a villa, na região da Toscana, e a relação entre os dois fica ainda mais abalada. Enquanto isso, o rapaz se apaixona por uma jovem chef (Valeria Bilello), cujo ex-marido tem fama de violento. 

Neeson, que passou por uma experiência parecida com a de Robert, ao perder a mulher, Natasha Richardson, em 2009, quando ela sofreu um acidente esquiando, define o longa como “uma grande história sobre família e amor”, e confessa que encontrou no filme uma maneira de enfrentar suas próprias dores. “Foi muito catártico para lidar com o meu próprio luto. E fazer isso por meio da arte, ou seja fazendo um filme, foi muito, muito único e especial

Quando você está rodando uma cena, você está cercado de toda equipe, umas 40 ou 50 pessoas, e eu sempre senti que estavam me apoiando. Não estavam apenas lá para fazer o trabalho, como se fosse outro qualquer, era um sentimento de camaradagem”. 

O jovem ator Richardson também confessa que se sentiu estranho ao ler o roteiro, por ser tão próximo da experiência que ele e o pai passaram. “Fazia 10 anos que minha mãe tinha falecido, e ser uma pessoa que a perdeu tão jovem… Há uma fala marcante do meu pai, no filme, ‘Ninguém sabe como enfrentar isso’. E creio que ninguém sabe mesmo, mas quando se passa por isso, muito fica fechado dentro de você, que acho não ser a maneira certa de enfrentar um luto. Você tem que por pra fora, chorar. Então, acredito que o processo do filme, me ajudou nisso.”

D’Arcy, mais conhecido por seu trabalho como ator em filmes como “Vingadores: Ultimato” e “Dunkirk”, estreia na direção e roteiro de longas com DE VOLTA À ITÁLIA.  Ele conta que a ideia para o longa surgiu enquanto ele viajava pela região da Toscana, e pretendia fazer o papel de Jack, mas com o passar do tempo, ficou velho demais para o personagem. 

Depois de muito tempo em desenvolvimento, poder voltar à Toscana com Liam e Micheál, um elenco dos sonhos, era inacreditável. É um privilégio poder contar essa história com esses dois atores. Todos nós tínhamos conexão com o material que foi muito além das páginas do roteiro.”