Texto por Marianna Straccialini 

“Urubus“, primeiro longa-metragem dirigido por Claudio Borrelli, faz sua estreia nacional na 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. O filme tem como centro o universo dos pichadores de São Paulo, cidade com a maior quantidade de grafite e pichação de todo o mundo.

Acompanhamos o dia-a-dia de jovens da periferia, que de madrugada chegam ao centro para deixar sua marca nos prédios da cidade. Com um quê documental, a produção optou por um elenco de atores não profissionais, que são acompanhados pela câmera na mão, deixando tudo muito mais natural e dinâmico.

Conhecemos o jovem Trinchas (Gustavo Garcez), integrante do grupo de pichadores Urubus, amigos desde a infância. O jovem se envolve com a estudante de artes Valéria (Bella Camero) e entende a partir dela que o que eles produzem é arte, o que resulta na invasão da 28ª Bienal de São Paulo. Além disso, vemos o cotidiano da favela e a dificuldade que é estar às margens da sociedade.

Mesmo baseado em fatos reais, com a participação no roteiro do artista CRIPTA Djan, que é pichador e esteve na invasão da Bienal, o filme decidiu criar a personagem Valéria, que apesar de servir quase como uma representação da apropriação da arte do pixo pela academia, anula a participação de Caroline Pivetta, pichadora e a única que foi presa durante a Bienal e ficou detida por quase dois meses.

Divulgação

A obra é de extrema importância, dando visibilidade aos artistas e mostrando uma arte original e tão discriminada como é o pixo, uma parcela enorme da história de São Paulo e que é sempre, literalmente, apagada. 

Exibidos em diversos festivais ao redor do mundo, “Urubus” coleciona prêmios, como Melhor Filme e Atriz Coadjuvante (Bella Camero), no British Independent Film Festival; Prêmio do Júri Narrative Feature Film, Fabrique Du Cinéma Awards; LAIFF Winter Award – Winner, no Los Angeles Independent Film Festival Awards; e Melhor diretor, no Manchester International Film Festival.

Filme visto online na 45º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em outubro de 2021.