Por Karen Meira

Quem pensa que foi fácil convencer Travis Scott a participar do Super Bowl com Marron 5 está muito enganado. Depois de várias recusas de cantoras como Cardi B e Rihanna por apoiarem Colin Kaepernick, quarterback que está sem time nesta temporada da liga de futebol americano (NFL), por conta de seu protesto contra a injustiça racial, tá sendo bem difícil para a banda encontrar uma participação que aceite tocar no intervalo do Super Bowl.

Marcado para 03 de Fevereiro, o rapper só assinou o contrato de Super Bowl depois que as empresas NFL e Pepsi prometessem doar cerca de US$500 mil para a ONG Dream Corps que defende a justiça social.